Home Empresa Produtos Galeria de fotos Localização Fale conosco
 
Adsorvente de Micotoxinas
Amiréia
Bicarbonato de Sódio
Carbonato de Cálcio
Caulim
Cloreto de Potássio
Enxofre
Farinha de Ostras
Fosfato Bicálcico
Gordura Protegida
Iodato
Melaço
Monensina Sódica
Óxido de Magnésio
Óxido de Zinco
Probiótico
Sal Moído
Salinomicina
Selenito
Sulfato de Amônia
Sulfato de Cobalto
Sulfato de Cobre
Sulfato de Ferro
Sulfato de Manganês
Sulfato de Zinco
Uréia
Uréia Pecuária
Uréia Protegida
Virginiamicina

Detalhes do produto
 
Uréia
A adubação das pastagens, principalmente a nitrogenada, é um dos fatores mais importantes na determinação do nível de produção de forragem por unidade de área e os maiores incrementos de produção ocorrem, de modo geral, na faixa de 300 a 400 kg/ha/ano de N. A aplicação de uréia, fertilizante nitrogenado mais comum no mercado brasileiro, na superfície do solo, pode causar perdas de N por volatilização de amônia (NH3). Vários estudos de campo, no entanto, mostraram eficiência agronômica semelhante entre a uréia e outras fontes de N não sujeitas a perdas de NH3 por volatilização. Recomendações para utilização da uréia. 1) No período das chuvas, em sistemas intensivos de produção com manejo rotacionado de pastagens, pode-se recomendar a uréia, que é uma fonte de N eficiente e economicamente viável. 2) As doses mais adequadas de uréia situam-se entre 50 e 100 kg/ha de N por aplicação, após cada corte, no período das chuvas. 3) As perdas de N-uréia, na forma de amônia, são reduzidas quando a uréia for aplicada em solo seco, abaixo da capacidade de campo, e a seguir chover em torno de 10 mm de água. Apresentação saco de 50 kg.


   


 
Rua Jarauçu, 343 - Jardim Columbia CEP 79018 - 140
Tel. (67) 3325-8443 / 99912-2730 | E-mail: nutrimix@nutrimixms.com.br
Campo Grande - MS / Desenvolvido por EquipeA.com.br